Para uma melhor experiência por favor altere o seu navegador google CHROME, o FIREFOX, o OPERA ou o Internet Explorer.
Carburador é clássico?

Carburador é clássico?

Quem disse isso? Eu fui um deles. Inocente, julgava que um dos itens inerentes a uma moto clássica era o carburador. E foi! Mas o tempo passou, e o que era novo ficou antigo, o que era bacana ficou clássico. E a história da injeção eletrônica em motocicletas já se aproxima dos 40 anos. Portanto, não dá mais para virar a cara para a injeção eletrônica.

A primeira motocicleta no mundo, em escala comercial, a receber injeção eletrônica foi a Kawasaki Z1000H, de 1980. A imagem abaixo é de fazer cair o queixo: note a ausência dos volumosos carburadores e ao mesmo tempo o antagônico pedal de partida.

Kawasaki Z1000H (Imagem: divulgação)

No início, obviamente, as injeções eletrônicas eram precárias. Em outras palavras: alguém aqui se lembra de usar computador em 1980? O máximo que tínhamos eram relógios com calculadora – e era legal demais, diga-se. A Yamaha, por exemplo, equipou sua primeira motocicleta com injeção eletrônica de combustível, a XJ750D, apenas em 1982.

Yamaha XJ750D (Imagem: divulgação)

Mas, como disse, era eletronicamente precário no que se refere à velocidade do processador e à quantidade de informações que podia administrar. Prova disso é que somente em 1993, com a GTS1000, a Yamaha colocou sensor de oxigênio em seu sistema de injeção, que podia assim administrar maior quantidade de informações em tempo real.

Yamaha GTS (Imagem: divulgação)

No Brasil

Por aqui, motos nacionais com injeção eletrônica surgiram apenas em 2007 com a Yamaha XT660. Lembro bem da minha avaliação para a Revista Duas Rodas: a injeção era um tanto imprecisa, às vezes até apagando o motor.

Já víamos motos injetadas desde a abertura das importações, em pequena quantidade no começo, representadas pela Yamaha GTS1000 e pela BMW K1 em 1993, e mais tarde com a Hayabusa a partir de 1999. Talvez por isso associamos motos dos anos 1980/1990 ao carburador.

Mas, assim como os mais velhos associavam motos clássicas ao platinado, temos que abrir nossas cabeças e começar a aceitar as injetadas em nossas coleções.

Ou você recusaria uma Hayabusa 1999 em seu acervo?

The following two tabs change content below.
Diego Rosa

Diego Rosa

Editor do site Motos Clássicas 80, dono de 15 Iron Butt e dono de uma coleção que começou com uma Honda XL250R que ganhara na adolescência – e que tem até hoje. No Instagram, conta suas aventuras sobre duas rodas no @motosclassicas80.
deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo